terça-feira, março 03, 2009

CORREDORES.

Serra da Estrela.

Sábado, dia 28 de Fevereiro.


A descer o "Corredor largo".


As temperaturas semi-tropicais, o gelo inexistente e a rocha completamente despida de neve, não faziam adivinhar nenhuma escalada interessante.

A opção seria abandonar o navio, ou... “... e se fossemos ao Corredor estreito?”


Daniela quase a entrar no "Corredor estreito".


Com a neve transformada poderia ser uma agradável actividade.

Já nem me recordo da ultima vez que subi o “Corredor estreito” no “Covão do ferro”. Foi há bastantes anos mas, não os suficientes para esquecer esta bonita via, com cerca de 200 metros e encaixada entre paredes, o que lhe confere um ar alpino.


O inicio do "Estreito".


O seu passo de rocha dá-lhe graça e obriga ao uso de algum que outro friend, a não ser que se opte pelo “solo”. O passo é um ressalto que varia muito, consoante o nível de neve. Desta vez encontrámos apenas uns dois metros de rocha mas, pode por vezes apresentar quatro ou cinco metros.


Após o passo de rocha.


Chegados ao cimo, ainda com bastante tempo, decidimos voltar a descer o “Corredor largo” e escalar o “Corredor da selecção” à direita do “Estreito”. Esta via, mais exigente que a anterior, revelou-se uma divertida actividade, variada e colorida, apesar da falta de neve nos troços de rocha. Dois lances de misto com alguns passos delicados precedem o corredor central fácil.


Daniela, na parte fácil do "Corredor da selecção".


Em vez de sairmos pelo braço esquerdo do corredor (mais fácil) optámos pelo lado direito e a neve terminou num mini-circo sombrio e intimidante. Uma pequena rampa de neve precária, mais inclinada e diagonal para a esquerda permitiu concluir esta via, ela própria muito interessante e aconselhável.


"Nicho sombrio".


Com a neve transformada, como a encontrámos, estas duas linhas podem ser propostas muito satisfatórias.


Paulo Roxo


Acessos:

Com a estrada da Torre aberta, o melhor acesso talvez seja, desde a Torre descer o planalto até encontrar o topo do “Corredor largo”. Descer o referido corredor e contornar o contra-forte rochoso até ás vias pretendidas.

Mais ou menos 40 min.

Com a estrada cortada a partir dos Piornos, passar a barragem do “Covão do ferro” pela sua margem esquerda e seguir em linha mais ou menos recta na direcção do objectivo pretendido.

Mais ou menos 1h30.

Material necessário:

Para o “Corredor estreito”, bastam cintas, camalots (ou similares) 0,75; 1 e 2.

Para o “Corredor da selecção”, contar com cintas e um conjunto simples de friends.

Para ambos, dois piolets úteis (embora não imprescindíveis).






3 Comments:

Hilton ! said...

Ainda vou conhecer essa Serra da Estrela! Cada via linda para ser escalada!

Daniela Teixeira said...

És bem vindo :)
Tens é de acertar no Inverno certo, pois em certos anos, este faz folga ;)

LHorta said...

Obrigado por sipaticamente partilharem as vossas experiências.

Quanto a mim, ao ler os vossos relatos,só tenho um estado de espírito....inveja!! muita!