sexta-feira, novembro 17, 2006

Jolly Roger – parte II


Pois é!!!
Afinal parece que é mesmo verdade!!!

Passadas algumas semanas de nos ter chegado às mãos um terrível presságio de uma certa invasão pirata sob a forma de um ilustrativo texto, lamentamos ter de transmitir este terrível facto, mas agora chegam-nos provas desta realidade. Tanto quanto podemos comprovar, a 1ª fase (sim…sim…parece que vai haver mais que uma) desta temida investida está pronta a avançar, claro está, sempre sob domínio da negra Jolly Roger!

Pelos corredores obscuros da informação uns falam em dezenas de nova chapas (do mais refinado inox!), outros já falam em centenas! Não se sabe ao certo o número concreto desta primeira fase, mas fontes seguras afirmam que ultrapassa seguramente a centena.

E pior: parece que os irreverentes corsários já têm o primeiro alvo a atingir!
Nas últimas horas, toda a redacção (hehe…) do Rocha Podre e Pedra Dura, inclusive apoiados por outros cidadãos anónimos, também eles incrédulos com os últimos rumores e agora factos, têm incansavelmente tentado descobrir a eterna duvida: Onde? Quando? Como?

Com muito esforço e empenho, contornando inimagináveis perigos eminentes, conseguimos falar com a única testemunha ocular: um indigente que temendo por represálias prefere manter o anonimato:

- “Éh pá! Estava escuro, muito escuro e abatia-se um dilúvio como se não houvesse o amanhã. Iluminados e absortos pela fugaz luz dos fatais relâmpagos, eu…eh pá…eu só via era chapas por tudo quanto é sitio! Aquilo eram chapas e chapinhas…torcidas e retorcidas…furadas…quinadas…era o fim do mundo! Antes de fugir, ainda consegui ouvir umas balbuciadas palavras de uns dos horríveis piratas. Eles grunhiam que o dia da invasão estaria perto…muito perto. E pareceu-me ouvir que falavam numa falésia, mas não consegui entender em que ponto da nossa costa. Mas pelas feias expressões não falavam de uma falésia qualquer mas tampouco percebi muito bem o que diziam. Apenas entendi que nesta primeira invasão não haveria misericórdia. Falavam numa grotesca e refundida parede marítima, falavam que o 1º selo de Jolly Roger iria ser um único recorrido de vários lances de corda, tudo equipado, falavam em 40/50 chapas só para disseminar no 1º ataque. Eh pá…não percebi nada, só sei que aquilo era terrível! Depois só pensei foi em dar à sola! Ufff…”

Por uma outra fonte, conseguimos obter um registo fotográfico de todo o processo.

Boa sorte…e salve-se quem poder!!!

MG


Agradecimento:

Gostariamos de agradecer ao SR. FRANCISCO FARTARIA, proprietário e mestre da fábrica onde foram feitas estas irredutiveis plaquetes e ao seu filho DIOGO (também ele um pirata!) pela disponibilidade de matéria-prima, equipamentos, espaço, ensinamentos e imprescendivel ajuda neste fabrico de chapas e por nos terem aturado em interminaveis serões.

Sr. Francisco Fartaria (ensinando-nos a "quinar" as chapas)


FOTOS:

Nota: Por motivos de segurança nacional e de não intromissão nas investigações por parte das autoridades, fomos forçados a manter o anonimato deste procurados corsários.


















6 Comments:

kedalivre said...

ola

cuidado com os piratas/ferreiros..!
correm boatos que deixaram tambem vestigios de outros utensilios forjados no local mais recôndito do local de manufacturaçao, uns dizem que sao "estacas", outros "espetos",outros ainda "agulhas".. desconhecendo-se ainda ao certo, qual a sua utilidade..

"É na boa..!"
loooool

abraço DF

nuno said...

Tem muito boa pinta!!!Equipem rápido que eu estou cheio de ganas de ir provar essa via!

Anónimo said...

Com mil diabos! Juro pelas barbas de Neptuno que já não via metal tão pouco vil desde que o capitão Gorjo cruzava as sete paredes da Lusitânia! Ah, belos tempos de âncoras podres e vias conquistadas a tiro de canhão...

Sete baús enterrados
e nem uma garrafa de rum!
Dois piratas desbarbados
que voltam sem tino nenhum!

- Oééééé! Oééééé! Terra à vista?
- Muita terra meu capitão, rocha é que não!
- Ah, miséria e maldição, tormentos de um cão!
Paciência! Siga p’ra cima em escalada mista!

Pereira said...

Aurrgh! Nem acredito nos meus olhos!
...A última fotografia!... um báu repleto de Dobrões reluzentes... e aposto que não vai ficar enterrado no areal duma ilha deserta! Tenho de deitar as mãos ao mapa deste tesouro antes que mais alguém saiba! Aurrrghh!

"Fly our flag, we teach them fear
Capture them, the end is near
Firing guns, they shall burn
Surrender or fight, there's no return...
Under Jolly Roger
(Running Wild, "Under Jolly Roger" album, 1987)

P.R. said...

...e uma garrafa de rum!!...

Paulo Roxo

Luis Ferreira said...

Vocês é que são OS PIRATAS... ;D
Abraço