segunda-feira, outubro 02, 2006

Ei, a Praia da Ursa tem novas vias... grandes!

Ei, a Praia da Ursa tem novas vias... grandes!

Um fim de semana chuvoso de Setembro.
As previsões eram de chuva para Sábado e assim, assim para Domingo.
No entanto, resolvemos tentar a sorte.
O carro rolava na auto-estrada de Cascais em direcção à Malveira, local de encontro com o Miguel Grillo.
O mau tempo não augurava nenhuma concretização de jeito.
Ao passar por uma lomba alta avisto toda a serra de Sintra coberta por um denso manto cinzento mas, na costa, sobre o local onde se encontra o Cabo da Roca, um grande circulo de céu completamente limpo, sem uma única nuvem. Yes!

Há algumas semanas eu tinha “preparado” desde o cimo (batota!), algumas vias na Praia da Ursa. Equipei reuniões e passos chave e limpei blocos de algumas futuras linhas.
Com a Daniela abri uma delas, a «Fomeca, 110 mts, A1 (7a)».

Paulo Roxo no 1º lance da «Fomeca»
Daniela Teixeira no 2º lance da «Fomeca»

Agora, o céu de Sabado mantinha-se limpo o que decerto iria permitir um fantástico dia de escalada.
Iniciámos a jornada com o Miguel a abrir o primeiro lance da «Mentes retorcidas, 115 mts, 6a+» e terminámos comigo a bufar e a gemer, por causa do calor e dificuldade, na «Hiperxia aguda, 75 mts, 6c/A1».
Antes tinhamos disfrutado nas placas tranquilas da «Nas barbas de toda a gente, 55 mts, 6a».
Para um dia que se previa de chuva intensa a coisa não correu nada mal! Paulo no 2º lance da «Mentes Retorcidas»


1º lance da via «Híperxia Aguda)


2º lance «Hiperxia aguda»


No Domingo, o Paulo Alves juntou-se e, em cordada de três realizámos a «Deusa Turquesa, 120 mts, 6a+».
Desta vez o céu apresentava-se muito nublado e ameaçava cair algo.
No entanto, ainda tivemos tempo de forçar a estética fissura do primeiro lance da «Fomeca» em livre.
Aquando da sua primeira ascensão a coisa ficou-se pelo A1.
Após dar-lhe com decisão, o Miguel e eu achamos que este largo pode tratar-se de um sólido 7a.
De qualquer modo, falta o encadeamento e confirmação.
Futuras repetições o dirão... ou não!

Miguel Grillo abrindo o 1º largo da «Deusa Turquesa»



Paulo Alves no 2º lance da «Deusa Turquesa»


Algumas indicações úteis:

- Por incrivel que possa parecer a rocha destas vias é bastante aceitável. De qualquer maneira já se sabe: CAPACETE!

- Para realizar as vias “Mentes retorcidas” e “Deusa Turquesa” é necessário entrar com a maré baixa, para isso consultar a seguinte tabela de marés:
http://www.hidrografico.pt/wwwbd/Mares/MaresPortosPrincipais.asp

- O equipamento fixo colocado é de aço inox, cortesia da loja Espaços Naturais do Porto (obrigado Pedro!).

Paulo Roxo (28/09/2006)











2 Comments:

Isabel said...

Ainda um dia me hão de explicar a "história dos nomes dessas vias" ;)

Muito boas as fotos!

Anónimo said...

pois muito bem. eu ja tinha andado a olhar pra essa parede. espero poder ainda passar por ai este ano. abraco e continuem. Rosado