segunda-feira, janeiro 18, 2010

CASCATA DO INFERNO. VERSÃO DILÚVIO.

CASCATA DO INFERNO. VERSÃO DILÚVIO.

O Magnifico Cântaro Magro


Nível de actividade: 100 por cento!

Nível de diversão: 100 por cento!

Nível de humidade:... 100 por cento!

Resultado final e conclusivo da ultima sexta-feira (15), depois de um dia épico de escalada em gelo.


O Rui Rosado e eu elaborámos um plano bastante simples: uma viagem relâmpago à Serra da Estrela, a partilhar gasóleo e emoções, com o objectivo de escalar o máximo possível até o dia terminar.


Face Norte do Cântaro


O mau tempo de toda a semana impedia subir de carro ao ponto de partida mais ou menos habitual, a curva do Cântaro. Resignámo-nos a abandonar a viatura no Covão D`ametade e a empreender a aproximação mais longa, através do Covão Cimeiro.

A desvantagem da caminhada foi compensada com o panorama geral das cascatas de toda a área, desde a Curva do Cântaro, ao Corredor largo, passando inevitavelmente pela mais que famosa e eternamente desejada, “Cascata do Inferno”.


Vista geral desde o Covão Cimeiro


“Ali estão!” Lá em cima, confundindo-se com o branco da neve, encontravam-se duas cascatas que nunca em anos anteriores tinha visto formadas e, das quais desconheço qualquer ascensão.

Uma delas fora tentada no passado dia 9 de janeiro pelo Pedro Barreto que, por pouco não conseguiu a primeira ascensão. Nesse dia, o gelo encontrava-se bastante precário e o bom senso falou mais alto.

Desta vez, o gelo encontrava-se em condições aceitáveis e o Rui Rosado realizou a primeira ascensão com destreza.


O Rui a inaugurar a "Quitate la nitro!"



Mais dois momentos na "Quitate la nitro!"


Resolvemos baptizar a via com uma frase emblemática do filme magnificamente idiota: Limite vertical. Tratava-se de uma versão em Castelhano que o Rui havia visto no campo base do Aconcágua. Num dado momento, a meio da película, alguém grita: “Quitate la nitro! Quitate la nitro!”

Pouco depois, lancei-me à linha da direita que, confirmei encontrar-se mais instável. No entanto, a sua dificuldade era menor que a da via anterior e, com o apoio psicológico de um friend sólido, lá “conquistei” a cascata, inaugurando a “Nitroglicerina”.


Eu a dar-lhe na "Nitroglicerina"




Desde aí descemos “a correr” para o sector “Lafaille” onde, ainda se pôde escalar duas vias.

Entretanto, o mar de nuvens cerrado que durante todo o dia escondeu o céu, resolveu começar a despejar... água!


O sector Lafaille.


Sob uma chuvinha miudinha (a chamada “Chuva molha parvos”, em que os “parvos” seriam sem sombra de dúvidas: nós!), dirigimo-nos à “Cascata do Inferno”, com a atitude: “A ver se dá!”

Durante uns minutos estivemos a observar a bela linha gelada, sem saber o que fazer.

A chuva não parava de cair, comprovando de forma inquietante, altas temperaturas.

“E então?” Uns segundos de pausa para a resposta: “Por mim, tentava!”

Ao som das primeiras “pioladas”, à medida que progredia lentamente, a imagem de uma bela cordeleta enfiada num furinho “Abalakov”, a suportar uma fuga estratégica com o rabinho entre as pernas, preenchia o meu cérebro.


"Vai lá Roxo, a neve é mole!"


Mas, ao dobrar a secção vertical inicial, com as palavras de apoio do Rui (“Vai lá Roxo, a neve é mole!”), retomei a confiança e reforcei-a com um parafuso decente.



"Uff! Quase!"


O longo primeiro lance da “Cascata do Inferno” saiu sem grandes novidades e o bom senso ditou que a reunião deveria ser instalada em rocha, com dois “amigos”, colocados numa fissura “à bomba!”


"Nada como uns bons amigos!"


Nessa altura já estavamos encharcados como pintos. A água escorria pelas mangas do blusão e o gore-tex parecia mais um enxovalho, que uma peça de equipamento de alta-montanha.


O Rui a aproximar-se...


"Tá de chuva!"

Prestes a concretizar um dos seus sonhos de Inverno na Serra da Estrela, o Rui escalou o segundo lance da cascata com soltura e, momentos mais tarde, gritava desde o topo: “Reunião!”


"Tá no ir!"


"Bota lá um parafusinho!"


Mesmo ao anoitecer (como previsto) chegámos ao Covão D`ametade.

Completamente ensopados mas satisfeitos, retomámos a estrada de regresso.

Um dia memorável!


O melhor alpinista do mundo?

É aquele que mais se diverte!

Alex lowe


Paulo Roxo

8 Comments:

Rui said...

Mais algumas fotos deste inverno em:
http://picasaweb.google.pt/rosado.rui/EscaladaGeloEstrela2010?authkey=Gv1sRgCOf7gvyy-7fbDg#

Abraço

Rosado

Miguel Grillo said...

Parabéns Paulo e Rui, grande ascensão!!!

Tal como tu, Rui, persegui esta escalada durante 15 anos. Várias tentativas, alguma com desfecho quase trágico. Infelizmente nunca encontrei as condições minimas.

Mas, isto são histórias do passado... parabens uma vez mais por reluzirem esta pérola.

M. Grillo

Anónimo said...

Oi Miguel!!!

Neste próximo finde existe uma forte possibilidade de a Cascata do Inferno estar em condições:

TE APUNTAS???

Paulo Roxo

lola said...

Vai-la Miguel, eo , si no estiver a quasi 1000 km iria com os ollos fechados. Parabens, Paulo, mais uma vez eres meu heroi

Anónimo said...

Grande actividade!!!!!
Assim é que é!!!
Aquele abraço
João Animado

TPais said...

Parabens a voces!!
Acho que fizeram bem em sacrificar-se com humidade pelo corpo todo porque ou muito me engano ou vai demorar até voltarmos a ter essas condições este inverno. Esteve "Quente" a semana toda...tenho algumas duvidas que sobre algo para este fim de semana.
Mais uma vez parabens pela aventura.
TiagoP

ricardofb said...

Eu e talvez o Jorge "Flash" também vamos para escalar no Domingo na Serra. Ouvi dizer que também iriam só para escalar no Domingo...
Se estiverem interessados em divir o combustivel por mais gente digam alguma coisa!
Ricardofb@hotmail.com

White Angel said...

LOUCOOOOOSSSSSS que vocês são... Ainda escorregam e caiem com tanto gelo!!! LOL

Daniela, obrigada pela tua visita;)
Entretanto my friend, esta a chegar o fim de Fevereiro e com isto o fim da suspensão da Portaria 1245.

Aconselho vivemente a leitura desta blogue para nao cair no esquecimento...

http://bordejar.com/

Beijinho
Dorita