quarta-feira, junho 21, 2006

E a bola rola...

Já agora e dando uma achegazita ao texto da Daniela, a propósito do Futebol e, neste caso das bandeiritas Portuguesas e dos patriotas que aparentemente proliferam neste cantinho Europeu, eu pergunto:

Onde é que estavam as ditas bandeirinhas e os patriotas quando ainda no passado ano (e no ano anterior e no anterior e no anterior...) a zona de Pampilhosa da Serra e Serra da Estrela (e outras) estavam a ser assoladas pelos terriveis mega-incêndios visiveis do espaço?
Será que essas mesmas bandeirinhas e esses mesmos patriotas estavam reunidos junto à assembleia da republica para tentar obrigar o governo a fazer algo em relação a esse assunto?

E porque é que não vemos esses patriotas e as suas “irritantes” bandeiritas a manifestarem-se junto aos barões da Turistrela contra a mais selvagem obliteração de uma das mais belas serras Portuguesas?


Ás vezes penso que o nosso País merece a sua sorte.

Ou então sou o único que acha uma verdadeira fantochada governamental o facto de a assembleia da republica (note-se as minusculas nas primeiras letras de assembleia e republica) fazer um minuto de silêncio pela morte de um... futebolista!?
Ou de o excelentissimo senhor actual primeiro ministro (e demais comitiva) ter-se deslocado à Alemanha para assistir aos joguinhos, comer e beber “à Francesa”, à pala do dinheiro dos tugas. Tudo isto anunciado na T.V. como um grande acontecimento nacional e para jubilo dos mesmos patriotas – qual Papa em visita de terras Árabes!

De facto, só nos resta a escalada.

Paulo Roxo

1 Comment:

flash said...

Sublinho ambos os posts.

No jogo com o Mexico, o meu local de trabalho parou, literalmente, uns a ver o jogo na tv outros a ouvir na radio, alguns - poucos - a tentar trabalhar.

Na realidade, ontem estive a ver o jogo, depois de ter chegado a casa de um dia cansativo de bloco. Acabado o jogo, fui ao clube de video alugar um filme, era a histeria total nas ruas, estava tudo parvo. Porquê ?! não percebo, anda tudo parvo, ou serei eu que cada vez me identifico menos com esta sociedade.