quarta-feira, setembro 06, 2006

EXPEDIÇÃO CHO-OYU (e uma opinião particular)


A Daniela Teixeira prepara-se para de novo, tentar subir aos 8000 metros.
Irá partir na próxima sexta, no dia 8 de Setembro.
Desta vez, irá concentrar os seus esforços no Cho-Oyu, com 8201 metros de altitude.
A particularidade inédita desta actividade é que a Daniela prepara-se para a realizar sozinha.
A via de ascensão escolhida encontra-se na vertente Tibetana da montanha e está considerada como a via “normal”.
Devido ás numerosas expedições que, todos anos acorrem a esta via dificilmente alguém poderá anunciar uma verdadeira ascensão em solitário, uma vez que as janelas de bom tempo são aproveitadas por todos e os periodos de aclimatação são mais ou menos coincidentes.
No entanto, um escalador solitário terá de realizar todas as tarefas sozinho, carregar todo o equipamento, montar a tenda, cozinhar e sobretudo, lutar com o seu ser interior de forma a não se deixar vencer pela constante vozinha que sempre anda por aí a dizer: “Já chega! Vai-te embora! Isto é duro!”. Já para não falar nos riscos objectivos que uma tentativa solitária acarreta.
Quando se está acompanhado é mais fácil lidar com a vontade de desistir uma vez que existe a outra, ou outras consciências que podem animar e incitar a continuar.
Portanto, a tentativa da Daniela pode não representar uma ascensão solitária no sentido literal mas, selo-á concerteza no que toca a todas as acções e sentimentos não partilhados por um companheiro de cordada.
Por outro lado, esta expedição representa uma tentativa corajosa e inspiradora; inovadora, de acordo com os parametros Lusitanos.
Em primeiro lugar, trata-se de uma tentativa (e que me perdoem o sexismo)
feminina Portuguesa de ascensão a uma montanha com mais de 8000 metros.
Em segundo lugar e, caso obtenha o êxito desejado, tratar-se-á da primeira escalada a um 8000 realizada por um elemento do nosso País em autonomia completa e sem o apoio de qualquer companheiro directo, vulgo cordada.
A titulo pessoal, trata-se de um enorme desafio para a Daniela.
Para a sua carreira de alpinista este será um grande passo evolutivo.
Não digo isto no sentido de acenar a bandeira, ou de realçar feitos egocêntricos e com fins publicitários “caça-patrocinios”´(até porque desta vez decidiu não pedir patrocinios e custear a sua própria expedição!). Refiro estes elementos, para servirem como um mote que pretende, de certa forma, justificar uma opinião particular sobre o sentido do Alpinismo. Opinião essa que passo a transmitir:

Um alpinista verdadeiramente inovador é aquele que, de acordo com a sua experiência, se propõe a novos desafios, novos desconhecidos, a novas técnicas e dificuldades.
Um alpinista inovador é aquele que não estagna a realizar sempre o mesmo tipo de ascensões por saber ser assim que obtém o máximo de garantias de sucesso.
O grau de incerteza está directamente relacionado com o valor e a satisfação pessoal obtidos em determinada actividade. A verdadeira essência do Alpinismo e Aventura passa por estes parâmetros.
Dizem os “bons” Alpinistas:
“ Um bom curriculum de alpinismo não se conta pelos sucessos fáceis mas sim, pelos fracassos dificeis”.
Se um determinado Alpinista obtem consecutivamente sucessos será devido ao facto de se encontrar a realizar actividades a um nível de dificuldade muito inferior ás suas capacidades máximas, eliminando assim muitos dos factores de desconhecido e incerteza, acomodando-se à “garantia” de atingir determinado cume.
Cada fracasso dificil corresponde a uma aprendizagem. Deste modo, cada sucesso dificil corresponde a uma realização com um sabor especial, mais valorizado pelo próprio e, para sempre indelével.
Será por isto que, mesmo que a Daniela desista, após uma batalhada tentativa, ela terá ganho a sua expedição interior.

Paulo Roxo

9 Comments:

Anónimo said...

uma palhaçada, o que escreves é uma perfeita palhaçada... nao esperava isso de ti Paulo Rocho... o tuga tem na verdade uma memoria curta: tanto o Gonçalo Velez ou o Joao Garcia, quando partiram em expediçao na suas primeiras vezes, também partiram sozinhos e custearam as suas expediçoes, tentativa solitária o tanas... depois acabaram por se juntar e escalar com alguem que tambem estivesse pronto e tenho a certeza que a Daniela vai fazer o mesmo... muito boa sorte para ela que ja provou ter determinaçao mas parem com argumentaçao da treta...

Miguel Grillo said...

Triste...muito triste Sr. Anonymous! Não pelas opiniões aqui expressas por ambas as partes, mas sim pelo acto de cobardia que demonstras ao criticar escondido por detrás de um pseudo-anónimato. COBARDE!

Anónimo said...

Sr. Anonimo (creio ser esse o teu nome, não?)

Como não sei para quem escrevo vou-me dirigir para as outras pessoas que poderão ler isto.

Bem sei (ou calculo) que o Garcia e o Velez custearam algumas das suas expedições e que partiram muitas vezes sozinhos desde Portugal.

Quanto ao facto de a Daniela ir em solitário convido o sr anonimo a reler o texto (em especial o seu inicio) para o entender.

Se a Daniela vai juntar-se a alguém ou não, isso será decisão dela que a tomará (creio eu) em função da sua segurança.
Mas, estas coisas só as iremos saber quando ela voltar. E, nessa altura creio que ela irá contar a sua aventura com honestidade, relatando as coisas como realmente aconteceram, sem... palhaçadas.

Quanto a ti amigo anonimo era bom que te identificasses, é que mandar bocas detrás de uma parede parece-me uma... treta do tanas.

Ah, o meu nome não é Rocho!

Abraço

Paulo RoXo

Daniela said...

É triste que quando é para deitar abaixo, os que de pouco caracter se revestem, não têm coragem para assinar...ou será que este anónimo tem uma memória tão curta que esqueceu o próprio nome?
Pelo calibre é fácil de se perceber quem é, mas como não faz parte do que sou mostrar quem quer prejudicar na sombra, à que deixar este senhor na penumbra onde desde à muito se esconde, a cada maldade que faz.

Pelo que escreveu, não creio que de coração me deseje boa sorte, mas muito me alegra que pelo menos agora admita que possuo determinação para chegar onde quero.
Ainda assim, o Sr. Anónimo confunde algo, é que a determinação que possuo, não serve para provar nada a ninguém, mas apenas para perseguir o que me faz feliz.

Quanto ao juntar-me a alguém pela montanha, esclareço desde já uma coisa, serei verdadeira comigo mesma no caso de o fazer (e consigo também :) ).
Reuni os meios para tentar o Cho Oyu em autonomia, sem parceiro e é para isso que estou motivada (é triste contradizer as minhas vontades, quando me conhece tão pouco), é isso que vou TENTAR fazer, MAS se constatar que não tenho condições físicas e/ou psicológicas para tal, não desistirei da montanha e tentarei juntar-me a alguém.
Asseguro-lhe que se tal acontecer o Sr. anónimo o saberá no dia.
Mas mantenha presente que vou com a motivação para fazer a ascensão sozinha.
Se o consigo ou não, não sei, pois a experiência que possuo não me permite afirmar que o farei como gostaria. Uma coisa é certa, a fasquia que me coloquei, para o pouco nível de escalada/alpinismo que tenho, já é alta para mim, a titulo pessoal (apesar de ser apenas um aperitivo para centenas de alpinistas por esse mundo fora).
Se voltar sem cume, estou certa que ainda assim terei uma experiência altamente enriquecedora e também nessa situação, o direi abertamente "Não fui lá acima" :)

Para finalizar, é muito bom sentir que você é apenas um, entre os tantos que me apoiam e dão alento, vou com o coração cheio de boas recordações, alimentadas por pessoas, com um caracter de longe superior ao seu.

Obrigada a todos...e desculpem lá a seca de tanta palavra gasta com quem provávelmente nem resposta merecia

Até breve
Daniela

zm said...

Olá Daniela e Rosho (temos que ser criativos nesta coisa dos apelidos).
Eu acho que estes gajos são uma grande ajuda numa expedição como esta a que te propões. É que quando a tal vozinha te começar a dizer que é hora de desistir, tens uma razão mais para a calar e continuar até ao cume: dar uma lição a estes imbecis que ficam sempre a "portuguesar" atrás dos panos tentando que todos sejam uns inúteis como eles.
Da minha parte, como sabes, tens toda a força do mundo. Espero que tenhas sucesso e quando lá andares sabes bem que a maioria dos amantes da montanha é isso que deseja.
Um beijinho especial cá do ZM.
Cumprimentos ao Rosho :-)

chb said...

Power on Daniela...

Power on...

:p

Xina said...

Este tipo de discussão não leva a nada.

Vamo-nos concentrar antes em torcer para que corra tudo da forma que a Daniela deseja.

Abs
Xina

Peeeeeeeedraaaaaaaa!!!! said...

Epa, daqui de Katmandu so posso dizer que me deixam com um enorme sorriso nos labios.
Vou dar o meu melhor...a ver se chega.
Saudacoes alpinas aqui de perto das serras Himalaianas (como alguem me disse ha dias!
Daniela

Anónimo said...

DÁ-LHE FORTE
Esta tua atitude decisão/descontração, por vezes, é a que permite voar mais alto. Goza-a toda

bjs e até breve
Teresa e João Gaspar